quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Viagens na minha Terra: Queda do Vigário

-
Boa noite...


Reservo o post de hoje para vos mostrar um cantinho do Algarve. Uma queda de água deliciosa e deserta nesta altura do ano, rodeada de verde esmeralda, que embala com a cadência da água e o chilrear dos pássaros.




Para vós...


"A Queda do Vigário é uma queda de água da ribeira de Alte, que nasce na Quinta do Freixo, junta-se com a ribeira de Algibre perto de Paderne, formando a ribeira de Quarteira. Despenha-se a pique a 24 metros de altura caindo num grande lago que se assemelha a um alguidar, num local de grande beleza natural

Esta obra terá sido feita a mandado de Duarte de Melo Ribadeneyra, 18º Senhor de Alte, nos finais do século XVII, com o objectivo de embelezar a ribeira. No entanto, supõe-se que já existisse uma queda de água mais pequena, permanente ou temporária, nesse local. Há registos, nos arquivos da Casa d’ Alte que referem que a Queda do Vigário ficou tão bem construída, que nem foi afectada com o terramoto de 1755. Outrora, este espaço era muito procurado pelos habitantes locais para passear e tomar banho, aos domingos ou em dias de festa.

O terreno envolvente à Queda do Vigário foi adquirido, a particulares, pela Câmara Municipal de Loulé em 2002, que executou, posteriormente, obras com vista à criação de acesso, zona de lazer, parque de merendas e um edifício de apoio.

O espaço sofreu remodelações recentes, tornando-o ainda mais aprazível e propicio a momentos de lazer.

O acesso a este bonito espaço faz-se, após o estacionamento, junto ao cemitério de Alte, numa descida de cerca de 300 metros."




Se bem que a queda de água não se encontrava no seu máximo esplendor, pois, no meio do Outono e depois de um Verão muito seco, ainda não havia chovido o suficiente para alimentar o fôlego da água, este pequeno tesouro da natureza brinda-nos com uma pequena lagoa de água esmeralda e um véu branco que são da mais inesperada beleza no meio da serra algarvia.





Claro está que aproveitámos o luxuriante verde circundante para apaziguar a nossa fome. Claro está também que onde eu vou tem que ser montado um enorme espectáculo à minha volta, portanto, aqui me encontro a dispor o "estáminé" que forcei o meu talentoso fotografo e namorado a levar connosco, para contentamento da minha maneira de ser peculiar.





Pausa para leitura, claramente fictícia... Eu ainda quis por-me a ler para quem quisesse ouvir, mas depois achei que o tema não seria do agrado geral e contive-me...





Tempo também para as fotografias, leiam-se, artísticas, com o meu copo favorito, como podem comprovar pelas fotos de outros posts.



Aqui, o belo verde do local funde-se com o verde do alimento para o espírito... Quem sabe o que contém aquele copo?... Assim abandonado como uma oferta, estrategicamente colocado e equilibrado nas ervas frescas?...





Continuando com o hino ao meu ego, devem desculpar-me por ocupar constantemente as paisagens que vos devia mostrar, mas é simplesmente mais forte do que eu... De qualquer modo, podem ver, obstruído, eu sei, o retrato geral deste lugar escondido na Concelho de Loulé.



Mas não digam a ninguém... Este lugar é para preservar intocado e intocável, perfeito e ligeiro para os próximos que o pretenderem apreciar...


Mais fotos da Queda do Vigário

1 comentário:

Sara Araújo disse...

ABSINTO! :o

blog brutal :)

*